A importância de um psicólogo antes e depois da cirurgia bariátrica

Psicólogo e cirurgia bariátrica

A obesidade é hoje um dos maiores desafios de saúde pública em nosso país. O excesso de peso é uma doença difícil de ser tratada e, como tal, exige cuidados tanto sociais quanto psicológicos. A cirurgia bariátrica surge como a solução em grande parte dos casos e o acompanhamento de um psicólogo se torna essencial para o sucesso do tratamento.

A avaliação psicológica antes da cirurgia é composta de testes e muita conversa. O intuito é preparar o paciente para que ele ou ela possa tomar decisões conscientes e também para prevenir que o procedimento seja feito em pessoas com graves psicopatologias.

Saiba, neste texto, a importância de um psicólogo antes e depois de uma cirurgia bariátrica.

Consulta com o psicólogo antes da cirurgia

A obesidade interfere na vida de formas diferentes, de acordo como cada pessoa. Entretanto, a perda de peso acontece de maneira muito rápida e também causa impacto na vida do ex-obeso. Tendo isso em mente, é fundamental contar com o auxílio de um psicólogo antes da cirurgia, para que o paciente possa se preparar com a nova condição de vida que virá.

A avaliação psicológica, aliás, é um dos exames exigidos pelo cirurgião. O foco do acompanhamento psicológico é preventivo e educativo. O paciente fala sobre dificuldades e compulsões, desejos, limites, desafios que pretende superar. Além desses fatores, são discutidas situações comuns a pessoas que vão passar por um procedimento cirúrgico, como insegurança quanto aos resultados e o medo da anestesia.

Essas questões causam angústia e só um psicólogo é capaz de ajudar o paciente a lidar com elas. As expectativas positivas com a nova vida também são abordadas, sempre em um contexto de discussão sobre como o paciente pretende explorar a sua nova condição corporal.

Acompanhamento psicológico depois da cirurgia bariátrica

Para alcançar bons resultados depois da cirurgia bariátrica, é essencial a colaboração do paciente e o seu empenho em seguir o passo-a-passo do programa de reeducação alimentar. Nesse trajeto, podem surgir dois vilões: a ansiedade e o estresse com os quais o paciente terá de lidar. Nessa hora, o apoio psicológico se faz novamente fundamental.

O psicólogo vai ajudar o paciente a lidar com a privação de alimentos e em casos mais graves com o controle da compulsão por comida que, caso não seja tratada, pode ser transferida para outras substâncias, como álcool ou drogas ilícitas.

Para muitas pessoas, o emagrecimento é acompanhado de uma inevitável mudança de postura perante a vida. Isso porque a obesidade muitas vezes é usada como explicação para a letargia do indivíduo frente a desafios – seja na busca por emprego, por exemplo, ou em relacionamentos amorosos ou sociais.

O psicólogo ajuda a lidar com essa nova questão: o ex-obeso precisa aceitar que é uma pessoa produtiva e que por isso será cobrada pela sociedade.

Geralmente, o acompanhamento psicológico retorna 30 dias depois da operação. Mas os prazos variam de acordo com a situação do paciente. Na volta ao consultório, o psicólogo verifica como estão as adaptações à nova vida e discute as dificuldades e fraquezas que o paciente venha a desenvolver.

Por fim, quem decide passar por um procedimento cirúrgico para redução do estômago tem de ter em mente que a mudança não será somente física. A mudança interna pode ser tão perceptível a quem olha de fora quanto os muitos quilos a menos que a pessoa irá apresentar.

A psicoterapia ajuda a reorganizar a nova vida, a lidar com os novos hábitos alimentares e com as muitas informações que acompanham o tratamento posterior a cirurgia bariátrica. O psicólogo é um profissional muito importante na equipe multidisciplinar que vai atender o ex-obeso, com o objetivo de auxiliar na recuperação e prevenir complicações.

Autora: Thaiana F. Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.