Terapia de casal

Terapia de casal

Decidir buscar ajuda de um psicólogo nem sempre é fácil. Aceitar que precisa de ajuda e que essa ajuda, muitas vezes, somente é possível vir de um terceiro, também não é fácil. Entendemos, nas entrelinhas, como é difícil estar aqui.

Conversar com o(a) parceiro(a) que a relação precisa de ajuda e que sozinhos não estão conseguindo enfrentar os problemas também não é fácil e por isso estamos aqui para ajudá-lo(a).

Atualmente, a terapia de casal tem sido bastante procurada e não se difere mais por idade ou tempo de relacionamento: há casais que procuram e já estão casados há anos ou casais que estão iniciando o relacionamento agora. Em ambos os casos, a principal questão é ajustar problemas e incômodos que não interfiram em médio e longo prazo.

Por ser uma terapia de casal, alguns parceiros ou não sentem vontade e dizem que não precisam – enquanto o outro insiste em fazê-lo, ou mesmo existem situações que gostariam de falar ao terapeuta, mas que não gostaria que o outro estivesse perto.

Também é comum que a terapia de casal vire uma terapia individual. Isso vai depender da queixa de cada casal e do objetivo de cada um. Terapia de casal não significa que os dois estão em busca da mesma coisa.

Qual o papel do psicólogo?

Essa pergunta é comum não só para terapia de casal, mas também para outros tipos de terapia, como individuais e de criança. No caso da terapia para casal, primeiramente o psicólogo precisa entender qual a busca do casal: é preciso que ambos estejam de acordo e cientes de que existem problemas e incômodos que precisarão ser citados para serem resolvidos.

Após o psicólogo entender a demanda do casal, situação que pode levar até duas ou três sessões, trabalhará fortemente para que o casal consiga conciliar suas questões, fazendo com que cada um ouça o que o outro tem a dizer.

Vale ressaltar que, embora a terapia de casal seja bastante procurada, o fato de um dos parceiros não querer fazer a terapia também é comum. Isso acontece, geralmente, quando este parceiro que não sente a necessidade da terapia enxerga o relacionamento como um problema do outro e que somente o outro precisa de ajuda – e não funciona bem assim.

Em casos como este, recomendamos que, aquele que está empenhado em iniciar o processo terapêutico dê início ao tratamento como terapia individual, mas com foco em terapia de casal, e assim, trabalhará com o terapeuta pontos que possam ajudar com que o parceiro compareça à terapia.

De qualquer forma ou optando por quaisquer tipos de terapia, o foco do tratamento é o bem-estar do(s) paciente(s), eliminando problemas e situações que causam desconforto, e conquistando uma vida plena e feliz.

Autora: Thaiana Brotto (Psicóloga CRP 06/106524)

*Os textos do site são informativos e não substituem atendimentos realizados por profissionais.